O que é a OHB

A Oxigenoterapia Hiperbárica é um tratamento médico em que o paciente entra em uma câmara pressurizada, respirando oxigênio (O2) a 100% sob condições de pressão duas a três vezes superior à pressão do ar atmosférico, o que é extremamente benéfico nas lesões em que há falta de oxigênio tecidual. O processo de cura é agilizado por meio de uma inalação maior de oxigênio, que se dissolve no plasma e eleva a tensão do gás nos tecidos.

O uso da Medicina Hiperbárica situa-se na história há mais de meio século como uma terapia eficiente e diferenciada, com sucesso e embasamento científico comprovado para muitas doenças. É utilizado em vários países: Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Espanha, Inglaterra, Itália, França, Rússia, Japão, China, Coréia do Sul, Austrália, Cuba, México, Argentina, entre outros.

 

A oxigenoterapia hiperbárica é um método terapêutico reconhecido no Brasil pelos órgãos competentes. Encontra-se regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995 através da Resolução nº 1.457. Esta regulamentação define quais são as doenças tratadas com este método e norteiam a sua prática e a cobertura deste tratamento pelos planos e seguros de saúde.

O que é câmara hiperbárica?


A câmara hiperbárica consiste em um equipamento médico fechado, resistente à pressão, geralmente de formato cilíndrico e construído de aço ou acrílico e que pode ser pressurizado com ar comprimido ou oxigênio puro. Podem ser de grande porte, acomodando vários pacientes simultaneamente (câmaras multipacientes), ou de tamanho menor, comportando somente um indivíduo (câmaras monopacientes).

Como funciona a oxigenoterapia hiperbárica?

A oxigenoterapia hiperbárica provoca um aumento significativo da quantidade de oxigênio transportada pelo sangue, na ordem de 20 vezes o volume que circula em indivíduos que estão respirando ar ao nível do mar. Nestas condições, o oxigênio produzirá uma série de efeitos de interesse terapêutico, tais como: combate infecções bacterianas e por fungos, compensa a deficiência de oxigênio decorrente de entupimentos de vasos sanguíneos ou destruição dos mesmos, como acontece em casos de esmagamentos e amputações de braços e pernas, normalizando a cicatrização de feridas crônicas e agudas; neutraliza substâncias tóxicas e toxinas, potencializa a ação de alguns antibióticos, tornando-os mais eficientes no combate às infecções e ativa células relacionadas com a cicatrização de feridas complexas.
 

Rua Cel. Luiz Ferraz, 479 - Centro

Tel: (22) 3824-2440

  • White Facebook Icon